Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

“O POVO É SOBERANO”

19 de julho de 2009 : 09:13
“O povo votou. O povo é soberano e escolheu. Isso é que é importante.”, foi o que disse a atual Governadora e na época Senadora do Maranhão, Roseana Sarney, ao receber o resultado da eleição para Governador do estado. Menos de um mês após o resultado do pleito político, ela desrespeitava a soberania popular e entrava com recurso no TSE para a destituição do cargo de Governador, de Jackson Lago, eleito pelo voto popular.
Passados dois anos e quatro meses após a posse do pedetista, “A Guerreira” como é conhecida, assume o governo do estado esquecendo de tudo aquilo que foi dito no dia 30/10/2006, além de esquecer do que disse, também não cumpriu com o que prometeu em afirmação no mesmo dia em que deixava claro que estava se colocando a disposição como senadora do estado do Maranhão, para trabalhar pelo estado, mas o que se viu foi totalmente o contrário.
Nesses anos que passaram a filha do Sarney não fez nada mais que tentar de qualquer maneira tomar o cargo do governador Jackson Lago, muitas foram às formas e tentativas para que desestabilizasse o governo, dessa maneira ela trabalhou, mas utilizou de todas as formas possíveis para que o estado não obtivesse prosperidade durante o mandato popular, talvez aqui o adjetivo “Guerreira” caísse bem, afinal o homem que fora eleito pelo povo estava sendo fortemente combatido.
O mais incrível que com o passar dos tempos a Peemedebista não para de disparar frases curiosas e a última foi à véspera de tomar posse do mandato tomado da soberania popular, “no meu governo, bandido não terá vez”, o que quis dizer a atual governadora? Seria um preconceito social, ao achar que bandido é apenas aquele que usa arma material para conseguir sucesso no seu ato? Fica a pergunta para Sra. Roseana Sarney responder.
Fora essa questão social, fica o pedido de 1.393.647 milhões de maranhenses que votaram para o fim da oligarquia Sarney, que ela respeite a soberania popular que foi tão enfatizada pela mesma, um dia após a derrota nas urnas e reconheça finalmente que o povo foi quem escolheu.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>