Diego Emir | Poder, Política e Sociedade

Usina de Estreito lança o 1º concreto da segunda fase

ESTREITO – As obras de implantação da Usina Hidrelétrica Estreito avançam a cada dia. Nesta semana foi iniciada a etapa de concretagem pela casa de força, o que dá a largada para as obras de engenharia civil de grande porte da usina.

Esta concretagem também marca o início da segunda fase da obra. Ela consiste, segundo o jargão da engenharia, em “lançar concreto” para formar uma camada de regularização do solo escavado de parte da casa de força, onde futuramente serão instaladas as oito turbinas geradoras de energia.

A camada de regularização serve para deixar o terreno liso e fazer a ligação entre os blocos das fundações e o terreno natural. Atualmente, também estão sendo concluídas as escavações obrigatórias para construir o circuito de geração, formado pela tomada d’água e casa de força, além do vertedouro da hidrelétrica, por onde o rio passará quando for desviado, em 2009. Até o momento o leito do rio segue seu curso normal e não há alterações nas atividades de pesca e de lazer.

A barragem será construída em CCR (Concreto Compactado com Rolo) e começará a ser construída após a edificação completa da casa de força, na margem direita do rio Tocantins, e do vertedouro, na margem esquerda do rio.

De acordo com o gerente de Obras Civis, engenheiro Massilon Gomes, cerca de cinco mil pessoas estarão trabalhando na concretagem da hidrelétrica. “Esta fase marca o início das construções e se estenderá até 2010”, explica o gerente.

Os trabalhos serão executados por um corpo profissional de engenheiros, técnicos e operários especializados, com concreto produzido por centrais de alta tecnologia, transportado por caminhões betoneira e lançado por caminhões bomba.

A Usina Hidrelétrica Estreito é considerada o maior projeto gerador de energia em curso no Brasil, com capacidade instalada de 1.087 MW e energia assegurada de 584,9 MW médios.